POLÍTICA NACIONAL

Projeto permite compra de bicicletas com isenção de IPI, Pis/Pasep e da Cofins

Publicados

em


.

O Projeto de Lei 4479/20 reduz a carga tributária incidente sobre a compra de bicicletas em todo o País. O texto, que tramita na Câmara dos Deputados, elimina, nessas operações, a cobrança do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e das contribuições para o PIS/Pasep e para o financiamento da seguridade social (Cofins).

Dep. Pompeo de Mattos
Pompeo de Mattos: bicicleta traz benefícios para a mobilidade e para a saúde

O deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS), autor do projeto, afirma que o objetivo é estimular o uso da bicicleta como meio de transporte alternativo a automóveis e motocicletas. “Quem utiliza a bicicleta como transporte evita aglomerações em transportes públicos e contribui para reduzir a propagação de doenças virais, como a Covid-19”, justifica o autor.

Além de benefícios para a mobilidade e para a saúde, Mattos destaca também fatores ambientais e de renda. “A bicicleta contribui para a redução dos gases que causam o aquecimento global e não produz os insuportáveis ruídos causados por escapamentos, freios e motores de ônibus, carros e motocicletas”, diz. “No eixo renda, funciona como ferramenta de trabalho para milhares de brasileiros que promovem entregas de mercadorias nas compras por aplicativo”.

Leia Também:  Aprovada indicação de Gomes Piras para a embaixada do Brasil na Estônia

Reportagem – Murilo Souza 

Edição – Ana Chalub

Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Carlos Bolsonaro comprou imóvel por valor venal 70% menor

Publicados

em


source
carluxo
IG – Último Segundo

Carlos Bolsonaro diz não ser ‘covarde’ e assume uso das redes do pai


O filho do presidente Jair Bolsonaro (Sempartido) e vereador do Rio de Janeiro,  Carlos Bolsonaro (Republicanos) comprou um imóvel por valor 70% menor do que é avaliado pela prefeitura. O jornal O Estado de São Paulo apurou as informações em uma reportagem.


O imóvel comprado por Carlos Bolsonaro fica em Copacabana, zona sul do Rio, e custou R$ 70 mil ao vereador, sendo que o valor venal (valor definido pelo prefeitura para cobrar impostos) era de R$ 256 mil no momento da compra.

O Estadão diz que o negócio foi fechado em 2009 e que o escritório responsável pelos trêmites legais foi o mesmo que lavrou a escritura de outro apartamento comprado pelo verador, que custou R$ 150 mil e foi pago em dinheiro vivo. Este imóvel, na verdade, é avalido em R$ 213 mil pela prefeitura, diz o jornal.

Leia Também:  Câmara e Parlamento de Israel assinam acordo de cooperação

Carlos Bolsonaro é alvo de investigação do Ministério Público sobre a prática de rachadinha e a contratação de funcionários fantasmas em seu gabinete.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA