POLÍTICA NACIONAL

Projeto proíbe a venda de medicamentos “anti-cio” para cadelas e gatas

Publicados

em


O Projeto de Lei 4853/20 proíbe a venda de medicamentos “anti-cio” usados como método contraceptivo em cães e gatos sem prescrição feita por médico veterinário. A matéria está sendo analisada pela Câmara dos Deputados.

Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
Audiência Pública - Tema:
Segundo Célio Studart, animais podem vir a ter infecções e até tumores no útero e nas mamas

Autor do projeto, o deputado Célio Studart (PV-CE) argumenta que muitos donos de animais domésticos, como cães e gatos, tem utilizado medicamentos “anti-cio” de maneira indiscriminada para evitar gestações indesejadas dos animais ou para que não haja cio. Ele alerta que essa prática tem como consequência a exposição dos animais a elevadas doses de hormônios, aumentando a chance de desenvolvimento de câncer e do nascimento de filhotes com sérias deformações.

“Existem estudos mostrando que de 10 cadelas que usaram regularmente a “vacina anti-cio”, 9 poderão apresentar problemas como a Piometra, uma infecção do útero que pode levar a morte”, disse o deputado.

Ele cita ainda diversos outros motivos para não usar injeções ou comprimidos anticoncepcionais em animais, como por exemplo, infecções e tumores de útero, diabetes e tumores de mama.

Leia Também:  TSE aprova envio de tropas federais para nove estados nas eleições

Reportagem – Murilo Souza

Edição – Ana Chalub

Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

A partir de hoje, candidatos só podem ser presos em flagrante

Publicados

em


source

Agência Brasil

A regra para ambos os casos vale até 48 horas antes depois do término do primeiro turno
Foto; José Cruz/Arquivo/Agência Brasil

A regra para ambos os casos vale até 48 horas antes depois do término do primeiro turno

A partir deste sábado (31), nenhum candidato às eleições 2020 pode ser preso ou detido, a não ser em casos de flagrante.

Segundo o Código Eleitoral, a imunidade para os concorrentes começa a valer 15 dias antes da eleição. Já eleitores não poderão ser presos cinco dias antes das eleições, ou seja, a partir do dia 10, exceto em flagrante delito; em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável; e por desrespeito a salvo-conduto.

A regra para ambos os casos vale até 48 horas antes depois do término do primeiro turno.

Ainda pelo calendário eleitoral, hoje também é o último dia para a requisição de funcionários e instalações destinadas aos serviços de transporte de eleitores no primeiro e eventual segundo turnos de votação. 

Leia Também:  Carla Zambelli propõe exame toxicológico no Congresso, em ataque a Aécio

Este ano por causa da pandemia do novo coronavírus uma emenda constitucional, aprovada pelo Congresso Nacional, adiou as eleições de outubro para 15 e 29 de novembro, o primeiro e o segundo turno, respectivamente.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA