POLÍTICA NACIONAL

Rede aciona STF para que Bolsonaro prove alegações de fraudes eleitorais

Publicados

em


source
Bolsonaro alega que houve fraude nas duas últimas eleições para presidente, mas nunca apresentou qualquer prova; o presidente defende a impressão dos votos
undefined

Bolsonaro alega que houve fraude nas duas últimas eleições para presidente, mas nunca apresentou qualquer prova; o presidente defende a impressão dos votos

O Rede, partido do senador  Randolfe Rodrigues (AP), apresentou um pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que a Corte ordene que Bolsonaro apresente provas das  alegações que tem feito sobre fraudes eleitorais no Brasil.

Durante live transmitida ontem (17) nas redes sociais, o presidente disse que houve fraude nas eleições de 2018 . Segundo ele, sua chapa recebeu voto suficiente para ser eleita em primeiro turno. Ele não apresentou nenhuma prova ou evidência do que alegou. (Veja o vídeo abaixo).

Em mais de uma oportunidade, Bolsonaro disse, também, que Aécio Neves (PSDB) teria vencido a disputa contra Dilma Rousseff (PT) . Também não há nenhum tipo de prova sobre fraude eleitoral em 2014.

Leia Também:  Comissão externa debate impactos de incêndios florestais na oferta de água e na agricultura

“Tenho convicção de que realmente tem fraude. As informações que nós temos aqui, um dia a gente quem sabe a gente vai disponibilizar, é que o Aécio ganhou em 2014, é que eu ganhei em 2018 em primeiro turno”.

A Rede também pede que Bolsonaro seja enquadrado nos crimes de desobediência e de prevaricação.

Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Ministro defende privatização dos Correios em pronunciamento

Publicados

em


O ministro das Comunicações, Fábio Faria, fez, na noite de hoje (2), um pronunciamento em rede nacional de rádio e TV para defender o projeto de privatização dos Correios. A defesa foi feita em função da retomada dos trabalhos do Legislativo após o recesso parlamentar de julho.

No pronunciamento, o ministro disse que os Correios são um “orgulho do Brasil” e que é preciso fortalecer a estatal para garantir a universalização dos serviços postais.

“Com a privatização, os Correios vão conseguir crescer, competir, gerar mais empregos, desenvolver novas tecnologias, ganhar mais eficiência, agilidade e pontualidade. Somente assim, os Correios poderão manter a universalização dos serviços postais, que significa estar presente em todos recantos do país”, disse. 

Faria também disse que, no passado, a empresa foi alvo de corrupção e que a estatal registrou lucro de R$ 1,5 bilhão em 2020.

“Mesmo com muito trabalho e seriedade, o faturamento se mostra insuficiente frente ao que precisa ser investido todos os anos. São necessários R$ 2,5 bilhões por ano em investimentos para que os Correios permaneçam competitivos e possam disputar o mercado com as outras empresas de entrega, de logística que já operam aqui no Brasil”, afirmou. 

Leia Também:  Projeto reserva 30% dos postos de trabalho a negros em contratos de terceirização de serviço público

Em abril deste ano, os Correios foram incluídos no Programa Nacional de Desestatização (PND).

O tema está em debate na Câmara dos Deputados, por meio do Projeto de Lei (PL) 591/21, que trata da exploração dos serviços postais pela iniciativa privada. A urgência da tramitação do projeto já foi aprovada pela Casa.

Veja o pronunciamento:

Edição: Fábio Massalli

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA