POLÍTICA NACIONAL

Secretaria lança grupo de trabalho sobre mulher e economia

Publicados

em


.
Reprodução/TV Câmara
Economia - indústria e comércio - empregos oficina costura microempresas mulheres trabalhadoras
A inserção da mulher no mercado de trabalho será um dos temas discutidos pelo grupo

A Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados lançará no próximo dia 18, às 11 horas, no plenário 3, o Grupo de Trabalho sobre Mulher e Economia.

A intenção é discutir e sugerir propostas de inclusão feminina nas rotinas produtivas dos diversos setores, entre outros objetivos.

O público poderá acompanhar a solenidade e enviar perguntas às deputados por meio de sala de bate-papo do portal e-Democracia.

A secretaria
Criada por resolução em 2013, a Secretaria da Mulher uniu a Procuradoria da Mulher, implementada em 2009, e a Coordenadoria dos Direitos da Mulher, que representa a bancada feminina.

A medida trouxe mecanismos importantes para a representação feminina no Parlamento, como a presença da coordenadora dos Direitos da Mulher – cargo ocupado atualmente pela deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO) – nas reuniões do Colégio de Líderes, com direito a voz, voto e a fazer uso do horário de liderança nas sessões plenárias.

Da Redação – MO

Leia Também:  Medida provisória que beneficiava exportadoras em ZPEs perde validade

Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Ministro da Educação diz que jamais incentivou discriminação

Publicados

em


.

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, divulgou nota neste sábado (26) dizendo que teve uma fala “interpretada de modo descontextualizado” em matéria veiculada no jornal O Estado de São Paulo na última semana. 

Na última quinta-feira (24), Ribeiro fez comentários considerados discriminatórios que foram reproduzidos em redes sociais. O ministro afirma que as falas foram retiradas do contexto e tiveram interpretação equivocada.

“Jamais pretendi discriminar ou incentivar qualquer forma de discriminação em razão de orientação sexual”, diz a publicação. “Trechos da declaração, retirados de seu contexto e com omissões parciais, passaram a ser reproduzidos nas mídias sociais, agravando interpretação equivocada e modificando o real sentido daquilo que se pretendeu expressar.”

O Ministro pediu desculpas a quem se sentiu ofendido. “Por fim, diante de meus valores cristãos, registro minhas sinceras desculpas àqueles que se sentiram ofendidos e afirmo meu respeito a todo cidadão brasileiro, qual seja sua orientação sexual, posição política ou religiosa.”

 

 

Edição: Aline Leal

Leia Também:  Medida provisória que beneficiava exportadoras em ZPEs perde validade

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA