POLÍTICA NACIONAL

Sem Marta, Solidariedade fecha com Márcio França para as eleições em São Paulo

Publicados

em


source
Márcio França falando ao microfone e com o dedo em riste
Governo do Estado de São Paulo

Candidatura de Márcio França (PSB) deve ser confirmada em convenção nesta sexta-feira (11)

O Solidariedade fechou aliança com Márcio França (PSB) para a disputa da Prefeitura de São Paulo após um encontro realizado nesta quinta-feira (10) entre as lideranças dos dois partidos. O apoio ocorre um dia após o Solidariedade confirmar que Marta Suplicy não é mais candidata e a ex-prefeita se aproximar do atual prefeito Bruno Covas (PSDB), que tenta a reeleição.

Segundo o presidente municipal do Solidariedade, Pedro Nepomuceno, o nome de Márcio França será apresentação para a apreciação dos filiados em convenção partidária marcada para domingo (13), às 10h. O evento será realizado virtualmente por conta da pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Leia Também:  Projeto propõe assistência psicológica para incentivar a doação de órgãos

Após Marta manifestar apoio a Covas na corrida à Prefeitura, a assessoria de imprensa da campanha do tucano afirmou, por meio de nota, que a ex-prefeita teve um encontro com ele. Nesse encontro, o comunicado diz que os dois “deliberaram ações conjuntas para São Paulo”.

Bruno Covas ao lado de Marta Suplicy com prateleira de livros ao fundo
Divulgação/PSDB

Registro do encontro entre Bruno Covas e Marta Suplicy nesta quarta (9)

“No campo democrático, Marta Suplicy se une aos que apoiam a coligação do prefeito que, com ou sem partido querem o melhor para São Paulo”, diz trecho da nota.

Procurada pelo iG nesta quarta (9), a assessoria de imprensa de Marta informou que ainda não comentaria o caso.

Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Parlamentares pedem que TCU investigue gasto de R$ 1,8 bi do governo com alimentos

Publicados

em


O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e os deputados federais Tabata Amaral (PDT-SP) e Felipe Rigoni (PSB-ES) protocolaram nessa terça-feira (26) representação ao Tribunal de Contas da União (TCU) contra Presidência da República a respeito dos gastos do Executivo em alimentação.

Segundo os parlamentares, é necessária uma análise criteriosa por parte do TCU para averiguar os excessos de gastos.

A representação é uma resposta a notícias veiculada no último dia 24 na imprensa, que revelou um aumento de gastos com as compras de caráter alimentício efetuadas pelo governo federal: no último ano, todos os órgãos do Executivo pagaram, juntos, mais de R$ 1,8 bilhão em alimentos — um aumento de 20% em relação a 2019. Para a reportagem, foram considerados apenas os itens que somaram mais de R$ 1 milhão pagos.

De acordo com o levantamento, feito com base em dados públicos, só em goma de mascar foram R$ 2.203.681,89 aos cofres públicos. Molho shoyo, molho inglês e molho de pimenta, juntos, somam por exemplo mais de R$ 14 milhões. Em leite condensado foram gastos R$ 15.641.777,49. Pizza e refrigerante também fizeram parte do cardápio do ano: débito de R$ 32,7 milhões dos cofres da União.

Leia Também:  Bolsonaro diz que insumos da CoronaVac chegarão nos próximos dias

De acordo com os parlamentares, em alguns órgãos a conta pode ter sido mais alta e o cardápio mais variado. A maior parte das compras e o montante mais alto é ligado ao Ministério da Defesa. Foram mais de R$ 632 milhões com alimentação. A compra de vinhos, por exemplo, que somou R$ 2.512.073,59, foi quase toda bancada por eles.

No documento, os parlamentares solicitam ao TCU para que adote medidas adoudadas para verificar a legalidade, legitimidade e economicidade das compras efetuadas a título de alimentação pelo governo federal, cominando-se as sanções cabíveis.

Ainda na representação, os parlamentares ressaltaram que, “em meio a uma grave crise econômica e sanitária, o aumento de gastos apontado pelas matérias é absolutamente preocupante, tanto pelo acréscimo de despesas como pelo caráter supérfluo de muitos dos gêneros alimentícios mencionados”.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA