POLÍTICA NACIONAL

“Só se vivêssemos numa ditadura”, diz Mourão sobre obrigar vacinação

Publicados

em


source
Vice-presidente Hamilton Mourão
Isac Nóbrega/PR

Vice-presidente Hamilton Mourão

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) afirmou nesta quinta-feira (3) que não existe a possbilidade de obrigar as pessoas a se vacinar. O comentário foi feito pelo general durante entrevista à Rádio Jornal , de Pernambuco, e está alinhado com o que disse o presidente Jair Bolsonaro esta semana quando afirmou a uma apoiadora que “ninguém pode obrigar ninguém” a se vacinar contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2).

“Não há como o governo — a não ser que nós vivêssemos numa ditadura — obrigar todos a se vacinar”, disse Mourão.

Mourão ainda comentou que ele e Bolsonaro consideram ser uma obrigação tomar a vacina, mas lembrou que há pessoas que, por consciência, não querem tomar o imunizante.

Na segunda-feira (31), o presidente disse que a imunização não obrigatória em resposta a uma apoiadora que lhe pediu para não permitir “esse negócio de vacina”. Segundo ela, seria “perigoso”.

Leia Também:  Embaixador do Brasil no Iraque é confirmado pelos senadores em Plenário

Após a declaração do presidente, a Secretaria de Comunicação Social da Presidência (Secom-PR) divulgou em suas redes sociais uma peça publicitária com a frase de Bolsonaro, alegando uma defesa das “liberdades dos brasileiros”.

A aplicação de vacinas é obrigatória em crianças desde a criação do Programa Nacional de Imunizações, na década de 1990. No caso dos adultos, não são obrigatórias — embora sejam poucas voltadas especificamente para esse público.

Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Senadores debatem relações entre Brasil e EUA com chanceler Ernesto Araújo

Publicados

em


.

A relação entre Brasil e Estados Unidos foi um dos temas da audiência pública na quinta-feira (24) com o ministro Ernesto Araújo na Comissão de Relações Exteriores. Senadores divergiram sobre o tema. Para Marcos do Val (Podemos-ES) a parceria é estratégica e necessária, mas Zenaide Maia (Pros-RN) considera a relação desigual, com vantagem para os Estados Unidos. Mais informações com o repórter Rodrigo Resende, da Rádio Senado.

Leia Também:  Contratos de trabalho em hospitais federais do RJ serão prorrogados
Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA