POLÍTICA NACIONAL

Vice do PT critica Lindbergh por sugerir retirada de Tatto e apoio a Boulos

Publicados

em


source
Washington Quaquá
Fernando Frazão/ABr – 31.03.15

Washington Quaquá, vice-presidente do PT

O ex-senador e candidato a vereador do Rio de Janeiro, Lindebergh Farias (PT-RJ) sugeriu a desistência da candidatura de Jilmar Tatto (PT) e a criação de uma frente ampla para a esquerda para prefeitura de São Paulo.

A ideia foi criticada pelo vice-presidente nacional da legenda, Washington Quaquá . A ideia de Lindbergh incluía o apoio a Guilherme Boulos pelo PT na capital paulista.

A sugestão de Lindebergh foi recebida como um desrespeito pela direção do Partido dos Trabalhadores, para Tatto e também para a candidatura do PSOL no Rio.

Lindebergh havia sugerido uma união da esquerda na capital. No Rio, Renata Souza (PSOL) teria que desistir da candidatura para apoiar Benedita da Silva (PT).

“Um dirigente não pode dar declaração que enfraquece candidato nosso. E aqui no Rio estamos crescendo. É desrespeitoso com o Tatto e com a Renata. Eleição de segundo turno é democrático tentar disputar”, disse Quaquá ao jornal O Globo. 

Leia Também:  Rodrigo Maia defende reformas e rejeita nova Constituição

Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Projeto prevê exames psicossociais de crianças e adolescentes adotados

Publicados

em


Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados
Outubro Rosa. Dep. Rejane Dias(PT - PI)
Rejane Dias: o acompanhamento psicológico vai auxiliar o adotado e o adotante

O Projeto de Lei 5000/20 inclui, no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a previsão de exames periódicos psicossociais em crianças e adolescentes adotados.

Conforme o texto, os adotados deverão ser submetidos – a cada seis meses durante dois anos – a estudos com o objetivo de avaliar o efetivo atendimento de seus interesses. O prazo será contado a partir da sentença definitiva de adoção. Se aprovada, a medida valerá para crianças e para jovens de até 21 anos de idade.

A proposta foi apresentada pela deputada Rejane Dias (PT-PI) à Câmara dos Deputados.

“Depois que a criança ou o adolescente for morar com a nova família, é importante ter um acompanhamento psicológico, visando a analisar o adotado e o adotante por meio de métodos e técnicas para tornar o processo mais humano e proporcionar uma melhor comunicação entre todos os envolvidos”, defende a autora do projeto.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

Reportagem – Noéli Nobre
Edição – Pierre Triboli

Leia Também:  Projeto prevê exames psicossociais de crianças e adolescentes adotados

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA