POLÍTICA NACIONAL

Vídeo – Moro é hostilizado em Curitiba: “Vai para São Paulo”

Publicados

em

Moro foi criticado ao andar pelas ruas de Curitiba
Reprodução/Redes sociais – 17/05/2022

Moro foi criticado ao andar pelas ruas de Curitiba

Neste sábado (6), o ex-juiz Sergio Moro (União Brasil) foi hostilizado na Feira do Juvevê, no bairro Alto da XV, em Curitiba. Algumas pessoas passaram a gritar contra o ex-ministro do governo Bolsonaro e o criticou por ter tentado mudar seu domicílio eleitoral para o estado paulista.

“Vai para São Paulo”, gritou uma mulher que não foi identificada. O vídeo passou a circular nas redes sociais e ganhou repercussão.

Veja o vídeo:

A revolta da eleitora não é por acaso. Moro se lançou como pré-candidato à presidência pelo Podemos. Porém, em março, ele deixou o partido e se transferiu ao União Brasil. No entanto, lideranças da sigla articularam para derrubá-lo da disputa para o cargo de presidente, obrigando-o a buscar uma vaga ao Senado.

Só que os problemas não pararam por aí. O ex-juiz tentou mudar seu domicilio eleitoral para São Paulo, mas a Justiça considerou a manobra irregular. Sendo assim, ele precisou retornar para o Paraná e ter sua candidatura ao Senado pelo estado.

Leia Também:  TSE responde aos questionamentos técnicos das Forças Armadas    

Moro ficou conhecido em todo o país por ser o juiz da Operação Lava Jato. Com alta popularidade, recebeu o apelido de “herói” por eleitores que se identificavam com políticos com ideologia de direita. Durante o período, foi o principal algoz do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Em 2017, ele condenou o petista em primeira instância no caso do triplex, no Guarujá . No ano seguinte, aceitou o convite para ser ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Bolsonaro. Ele ficou no cargo entre janeiro de 2019 até abril de 2020.

O rompimento ocorreu, segundo Moro, porque o atual presidente da República tentou interferir na Polícia Federal. Pouco tempo depois, conversas dele com procuradores da Lava Jato vazaram, ficando o caso conhecido como Vaza Jato.

A defesa de Lula usou os diálogos como provas para que os processos da operação fossem anulados, o que acabou ocorrendo após decisão do Supremo Tribunal Federal. O ex-juiz também se tornou suspeito pela Corte.

Agora ele busca uma vaga ao Senado, tendo como principal adversário o senador Álvaro Dias (Podemos), seu antigo aliado.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Mídia internacional noticia atos pela democracia no Brasil

Publicados

em

Faixas penduradas no prédio da Faculdade de Direito da USP em São Paulo. Ato em defesa da Democracia aconteceu em diversas capitais do país
Reprodução/Twitter (@jhcordeiro)

Faixas penduradas no prédio da Faculdade de Direito da USP em São Paulo. Ato em defesa da Democracia aconteceu em diversas capitais do país

Os  atos pela democracia realizados nesta quinta-feira em várias cidades brasileiras repercutiram na imprensa internacional. Os eventos em defesa do Estado Democrático de Direito foram noticiados pela mídia da América Latina, dos Estados Unidos e da Europa.

A rede de televisão americana “ABC” destacou que milhares de brasileiros se mobilizaram para defender as instituições democráticas do país.

“Embora os manifestos atuais não nomeiem especificamente Bolsonaro, eles ressaltam a preocupação generalizada do país de que o líder de extrema-direita possa seguir os passos do ex-presidente dos EUA Donald Trump e rejeitar resultados eleitorais que não sejam a seu favor em uma tentativa de se apegar ao poder”, afirma a reportagem da ABC.

O britânico “The Guardian” sublinhou que a “Carta às Brasileiras e aos Brasileiros em Defesa do Estado Democrático de Direito”, idealizada por ex-alunos e a direção da Faculdade de Direito da USP, contou com apoio de “grandes figuras dos negócios, política, ciência e artes”.

Leia Também:  Senado fica azul para destacar Dia Nacional da Atrofia Muscular Espinhal

“A carta vem depois que  Bolsonaro intensificou seus ataques ao sistema eleitoral do Brasil e convocou apoiadores radicais para ir às ruas ‘pela última vez’ antes da votação de 2 de outubro”, afirma a publicação londrina.

Para o francês “Le Figaro”, as manifestações foram um “severo aviso” ao presidente Jair Bolsonaro (PL). “Pela primeira vez, a sociedade civil e os empresários se posicionaram em defesa da democracia brasileira em ‘momento de imenso perigo’ para as instituições do maior país da América Latina”, diz o jornal.

O “El País”, da Espanha, lembrou que o Brasil, nos últimos anos, acostumou-se a “comunicados oficiais, notas de repúdio, manifestos e todo tipo de escritos para expressar desconforto com os ataques do presidente Jair Bolsonaro contra as instituições democráticas”. Mas nenhum deles teve o impacto da carta lida nesta quinta-feira na USP.

“Nos últimos dias, porém, um texto se tornou ‘a mãe de todas as letras’ e promete ser a tentativa mais sólida e unificada de conter a retórica golpista do presidente, que continua questionando a confiabilidade do sistema eleitoral há menos de dois meses para as eleições”, diz o El País.

O jornal “La Nacion”, da Argentina, informou que empresários, sindicatos, juristas, artistas e membros da sociedade civil brasileira “ergueram a voz” contra os ataques de Bolsonaro às instituições. “Foi a reação mais enfática e multissetorial da sociedade civil contra os constantes ataques de Bolsonaro às urnas eletrônicas”, diz o texto.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI