Internacional

Posições sobre celibato causam guerra interna no Vaticano

Publicado

source

Agência Brasil

Papa emérito Bento XVI está no centro da discussão sobre celibato no Vaticano arrow-options
Reprodução/Twitter

Papa emérito Bento XVI está no centro da discussão sobre celibato no Vaticano


Bento XVI não teria aprovado a publicação do livro escrito em conjunto com o cardeal Robert Sarah, no qual o celibato dos sacerdotes é defendido, disseram fontes próximas ao papa emérito a veículos de comunicação.

Uma guerra interna travou-se no Vaticano na noite passada, quando alguns meios de comunicação, incluindo o Corriere della Sera, publicaram uma versão de alguém que não se quis identificar, mas se disse próximo do papa emérito, afirmando que Bento XVI não teria escrito o livro “a quatro mãos” e que se trata de uma operação editorial midiática a que ele é totalmente alheio.

A mesma fonte explicou que o papa emérito “apenas disponibilizou a Sarah um texto sobre o sacerdócio que estava escrevendor” e que “não sabia nada sobre a capa de um livro, nem o aprovara”.

Essas declarações provocaram uma reação dura do cardeal prefeito da Congregação para o Culto Divino, que afirmou no Twitter que acusá-lo de mentir era “difamação de extrema gravidade”.

“Hoje à noite, eu comprovei a minha estreita colaboração com Bento XVI para escrever este texto a favor do celibato. Falarei amanhã, se necessário”, acrescentou Sarah, que publicou as fotos de três cartas que Bento XVI lhe enviou.

Leia também: Indianos protestam contra construção de Cristo Redentor igual ao do Rio

Formato

As cartas confirmam que o papa emérito enviou um texto sobre o sacerdócio e o autorizou a publicar “da maneira que pretendia”, mas não especificam em nenhum momento se é um livro, com uma introdução e uma conclusão assinada por ambos.

A polêmica no Vaticano s urgiu no domingo (12), quando foi anunciado um novo livro assinado por Bento XVI e Sarah – um dos principais líderes da ala conservadora que critica as posições do papa Francisco -, no qual o celibato é defendido, diante da decisão que terá de ser tomada pelo papa argentino sobre a proposta de ordenar homens casados, feita no Sínodo da Amazónia.

Trechos do livro foram publicados domingo no site do jornal francês Le Fígaro.

Oposição a Francisco

A obra, em francês, tem como título “Das profundezas dos nossos corações” (Des profondeurs de nos coeurs) e chegará às livrarias esta semana, enquanto o papa encerra a sua exortação apostólica após o Sínodo da Amazónia . Para muitos, esse é um movimento para pressionar Francisco.

Assim, surgiram novamente acusações de que Ratzinger, 92 anos, que há anos se limita a breves aparições gravadas ou fotografadas por um jornalista ou amigo que o visitou, nas quais quase nunca faz declarações e se percebe que fala com grande dificuldade, pode estar a ser manipulado pela área mais conservadora da Igreja.

Bento XVI rompe silêncio e diz que celibato é indispensável

Comunicado

Os veículos oficiais do Vaticano limitaram-se a garantir que no livro “os autores expõem as suas intervenções no debate sobre o celibato e a possibilidade de ordenar homens casados” e que Ratzinger e Sarah se definem como dois bispos que mantêm “obediência ao papa Francisco”, de acordo com um artigo do diretor editorial Andrea Tornielli.

O responsável pela assessoria de imprensa, Matteo Bruni, disse que o papa Francisco sempre se opôs à eliminação do celibato, mas não se pronunciou sobre se Ratzinger concordou ou não com a publicação desse volume.

*Emissora pública de televisão de Portugal

Fonte: IG Mundo
Comentários Facebook
publicidade

Internacional

Brasil e países islâmicos vetam educação sexual em projeto da ONU

Publicado


source
ONU
UN Photo/Kim Haughton

Resolução foi apresentada pelo México e pode ser votada na semana que vem.

O Brasil se uniu a países islâmicos e vetou a educação sexual em um projeto da Organização das Nações Unidas ( ONU ). O documento em questão dá diretrizes para os países combaterem à violência contra a mulher.

Ao optar pelo veto, o Brasil se juntou à Arábia Saudita, Iraque, Kuwait, Paquistão e Bahrein como países que foram contra a medida. Os governos do Oriente Médio são acusados de terem uma postura de violação dos direitos das mulheres.

Segundo o colunista do UOL, Jamil Chade, o governo de Jair Bolsonaro não explicou o motivo pelo qual vetou a medida. O posicionamento do Brasil segue um aceno feito pelo Itamaraty à uma postura conservadora nas negociações diplomáticas.

A resolução foi apresentada pelo México e visa “eliminar todas as todas s formas de discriminação contra mulheres e meninas”. Segundo o país latino, a meta é ampliar a luta por igualdade de gênero. A proposta deverá ser votada na próxima semana.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

México:Identificaram restos de um dos 43 estudantes desaparecidos de Ayotzinapa

Publicado


source
Mexicano encontrado os restos
Reprodução Twitter @StradaVictor

Restos de mexicano encontrados



Restos de um dos 43 em Ayotzinapa identificados.O governo garantiu que encerrou “o pacto de silêncio e impunidade” do caso e “as mentiras” da narrativa que o ex-presidente Enrique Peña Nieto construiu

O Gabinete do Procurador Geral da República (FGR) informou hoje que foram identificados os restos mortais de um dos estudantes normalistas de Ayotzinapa que desapareceu em Iguala em 2014.

O promotor especial do caso Ayotzinapa, Omar Gómez Trejo, disse em uma mensagem à mídia que um dos seis restos enviados para análise na Universidade de Innsbruck, na Áustria, foi positivo em identificar o estudante Christian Alfonso Rodríguez Telumbre

A FGR informou que os novos procedimentos em torno do caso Ayotzinapa descobriram restos humanos no barranco La Carnicería, localizado a 800 metros do depósito de lixo de Cocula.

Daí vêm os restos analisados ​​e identificados pela Universidade de Innsbruck, acrescentou.

Trejo prometeu às famílias que a busca por seus filhos continuará porque eles têm todo o direito à verdade e à justiça.

Com Rodríguez Telumbre, já existem dois alunos identificados, pois há quatro anos a EAAF confirmou que alguns restos encontrados pertenciam a Alexander Mora Venancio, 19 anos. Mas ainda precisamos saber o que aconteceu com os 41 jovens desaparecidos que foram vítimas de desaparecimento forçado

De outubro de 2014 a janeiro de 2015 “as autoridades do antigo PGR (Procurador Geral da República) levaram os microfones, anunciaram às famílias e à sociedade que o caso foi encerrado com a manipulação de informações, a tortura de possíveis autores e o controle de uma mentira, com sua história do depósito de lixo e do rio San Juan “, afirmou.

“Com essas ações, eles negaram às famílias o direito à verdade e à justiça, disseram-lhes: parem de procurar porque já descobrimos. Hoje dizemos a vocês: Não é assim e nunca foi assim!”, Exclamou o promotor.

Ele observou que “esta é uma nova etapa da investigação, esse achado foi uma das novas ações de busca que realizamos no ano passado, essa é uma nova identificação que rompe com a narrativa de uma mentira que fechou mais possibilidades de busca e descoberta” .

Gómez Trejo destacou que o resultado de novas investigações ,veio do apoio do presidente Andrés Manuel López Obrador. A partir deste ponto, a unidade especial começou a receber informações sobre os locais onde o paradeiro dos normalistas poderia ser identificado.



Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana