Momento Destaque

Presidente recebe convite para o Show Safra 2020

Publicado

Divulgação

O Presidente da República, Jair Bolsonaro e o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas,  estiveram presentes na inauguração e entrega da pavimentação de 51km da Rodovia BR-163, que liga Mato Grosso ao Pará, na última sexta-feira (14) .

Durante a visita ambos receberam das mãos do prefeito de Lucas do Rio Verde – MT, Luiz Binotti, o convite para participarem do Show Safra BR-163 que será realizado de 17 a 20 de março de 2020 na cidade realizado pela Fundação Rio Verde.

O prefeito publicou em sua redes sociais, sobre sua participação: ” Fui à inauguração da Pavimentação da BR 163 com o objetivo de convidar pessoalmente o Presidente da República e o Ministro de Infraestrutura para o Show Safra BR 163. Atingi meu objetivo e ainda entreguei materiais que mostram o nosso potencial. Só se fala em BR 163 se falar de Lucas Do Rio Verde e da nossa grande importância nesse eixo.”

A assessoria de impressa da prefeitura afirmou que até o presente momento não obtiveram  confirmação da vinda dos convidados.  E afirmou também que em outra oportunidade entregaram o convite pessoalmente  ao Vice-presidente, Antônio Hamilton Martins Mourão  em Brasília.

 

Evento voltado ao agronegócio

Agência Best Place

De 17 a 20 de março acontecerá o Show Safra BR-163 as margens da MT-449, a 08 km de Lucas do Rio Verde e a 332 km da capital  Cuiabá. Promovido pela Fundação Rio Verde é considerado um dos maiores eventos do agronegócio do estado do Mato Grosso.  Os portões serão abertos a partir das 8 horas da manhã do dia 17 com uma  estimativa de público esperado de 100 mil pessoas segundo informações da organização do evento.

A área total utilizada será de 350.000 m² para exposição de mais de 800 marcas, mesas de negócios, workshop e palestras.  A programação completa  dos quatro dias de evento está disponível no site da fundação.

 

Por: Aline Viana

 

Comentários Facebook
publicidade

Momento Destaque

Juíza encontra valor ‘ínfimo’ em conta bancária e desbloqueia bens do conselheiro Sérgio Ricardo, afastado do Tribunal de Contas de MT

Publicado

A Juíza da Vara Especializada em Ação Cível Pública de Cuiabá, Célia Regina Vidotti, determinou o desbloqueio de bens do conselheiro afastado do TCE MT, Sérgio Ricardo(foto), por ter encontrado quantias ‘ínfimas’ nas suas contas.

“Tendo em vista que as quantias encontradas nas contas bancárias dos requeridos são ínfimas, quando comparadas com o montante a ser indisponibilizado, de forma que não atendem a finalidade de mínima garantia de eventual e futuro ressarcimento. Desta forma, não havendo razão para manter a indisponibilidade de quantias irrisórias, procedi ao desbloqueio”, diz a magistrada em decisão proferida nesta terça-feira (31).

O bloqueio visava cumprir a decisão da desembargadora do Tribunal de Justiça (TJMT), Maria Erotides Kneip, que determinou do ex-secretário de Estado Pedro Nadaf e do conselheiro afastado do Tribunal de Contas, Sérgio Ricardo, em até R$ 75 milhões. A decisão atendia a um pedido do Ministério Público do Estado (MPE).

O Caso

Em novembro de 2019 o MPE ingressou com uma ação civil pública  por atos de improbidade administrativa que causaram prejuízos de R$ 37,3 milhões aos cofres públicos. Na ação, o MPE ainda solicita o bloqueio de bens  dos envolvidos em mais de R$ 80 milhões.

Além de Nadaf e Sérgio Ricardo, foram acionados os empresários Ciro Zanchet Miotto, Ricardo Padilla de Borbon Neves e as empresas Superfrigo Industria e Comércio, Aval Securitizado de Créditos  e Intercontinental Foods Comércio de Alimentos.

 De acordo com a denúncia assinada pelo promotor de Justiça Arnaldo Justino, o suposto esquema ocorreu para que Sérgio Ricardo, então membro da Mesa Diretora da Assembleia, pagasse uma espécie de 13º mensalinho a 17 parlamentares para que os mesmos apoiassem os projetos do governo no Legislativo.

As investigações se iniciaram com base na delação de Nadaf que revelou à Procuradoria Geral da República (PGR) um esquema de venda de incentivos fiscais em troca de propina durante a gestão do ex-governador Silval Barbosa.

Nadaf relata que em 2012, a pedido de Silval, ficou encarregado de procurar uma empresa interessada em receber incentivos fiscais do Estado sob a condição de pagar R$ 2,5 milhões em propina para quitar uma dívida de Silval com o empresário Ricardo Padilla de Borbon Neves.

Em troca da propina para que fosse quitado o empréstimo feito pelo ex-deputado Sérgio Ricardo, via Aval Securitizado, empresa de Padilla, o governo concedeu incentivos fiscais ao frigorífico Superfrigo, de propriedade de Miotto e Ricardo Padilha. Segundo o MP, Nadaf teria explicado a Padilla da necessidade de se encontrar uma empresa para pagar propina em troca de incentivos, para que a dívida de Silval fosse quitada.

“Desse modo, Ricardo Padilla levou até o ex-secretário, o imputado Ciro Zanchet Miotto, sócio-administrador do frigorífico Superfrigo, que se dispôs a pagar a dívida em troca do incentivo fiscal”, diz trecho da denúncia.

 

Otavio Ventureli(com Ascom)

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento Destaque

Governo Federal já investiu cerca de 750 bilhões para combater o impacto da primeira onda do Coronavírus no País, afirma Paulo Guedes

Publicado

O ministro da Economia, Paulo Guedes(foto), afirmou na manhã desta quarta-feira(1º), em Brasília, que o governo federal investiu cerca R$ 750 bilhões para combater o impacto do que chamou de primeira onda da pandemia do novo coronavírus no Brasil.

Guedes, participou de entrevista coletiva na tarde desta ter-feira (31) ao lado dos ministros Sergio Moro, da Justiça e Segurança Pública, e Luiz Henrique Mandetta, da Saúde.

Entre as medidas econômicas citadas por Guedes, estão a antecipação de 13º para aposentados e pensionistas e a inclusão de 1,2 mihão de famílias no Bolsa Família.

O cálculo leva em conta ainda do valor total investido por conta da pandemia inclui ainda cerca de R$ 50 bilhões destinados a complementação salarial, empréstimos para as empresas manterem capital de giro, R$ 150 bilhões em diferimentos de impostos e R$ 88 bilhões destinados a proteção da saúde em estados e municípios.

Além disso, entra na conta o auxílio emergencial aos informais, que será estendido ao Bolsa Família, que prevê o pagamento de R$ 600 por três meses a brasileiros que trabalham na informalidade. A medida ainda depende de trâmites burocráticos para ser liberada.

“É a maior rede de proteção social que já foi estendida. São entre R$ 70 bilhões de R$ 80 bilhões para a defesa da saúde do brasileiro”, afirmou o ministro. Guedes afirmou que o valor se compara ao benefício concedido pelo governo norte-americano, de US$ 1,2 mil. “É da mesma ordem de magnitude”, declarou.

O ministro estima que o montante corresponde a 2,6% do PIB. “Já tinhamos déficit estrutural de 2,6%. Estamos em 5,2% em déficit global e vamos subir. O presidente deixou claro: não vamos deixar nenhum brasileiro pra trás. Todos os esforços pela saúde e emprego dos brasileiros serão mobilizados”, disse Guedes.

Guedes afirmou que trabalha junto à ministra da Agricultura, Tereza Cristina, para garantir que a safra agrícola chegue às cidades e articula com o ministro dos Transportes, Tarcísio Gomes de Freitas, a manutenção do abastecimento. ” Estamos trabalhando para a  organização econômica não entrar em stress. Temos aí uns 400 +… já estamos em cerca de 750 bilhões o dinheiro mobilizado pra receber primeira onda de impacto sobre a saude”, disse Paulo Guedes.

 

Otavio Ventureli(com Assessoria)

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana