Política Nacional

Projeto prioriza profissionais da imprensa e da edução em campanhas de vacinação

Publicado


.
Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Audiência Pública - Tema: As consequências da exploração mineral em terras indígenas. Dep. Helder Salomão (PT - ES)
Helder Salomão: ainda que se estabeleça isolamento social, esses profissionais continuam em atividade

O Projeto de Lei 2796/20 altera o Programa Nacional de Imunizações para incluir profissionais da imprensa e da educação entre os grupos prioritários em campanhas de vacinação. O texto está sendo analisado pela Câmara dos Deputados.

“Com a crise sanitária do coronavírus, ficou evidente que alguns profissionais são essenciais”, observou o autor, deputado Helder Salomão (PT-ES). “Ainda que se estabeleça isolamento social, esses profissionais continuam em atividade e se arriscando a contrair diversas enfermidades”, acrescentou.

A legislação atual atribui ao Ministério da Saúde a competência para elaborar o Programa Nacional de Imunizações. De acordo com a lei, o ministério deverá definir quais vacinações serão obrigatórias e quais serão praticadas de modo sistemático e gratuito pelos órgãos e entidades públicas.

“Ainda que o Ministério da Saúde elenque grupos e profissões prioritários a serem imunizados, defendemos consolidar em lei que algumas carreiras estão mais expostas que outras e, desta forma, devem ser priorizadas nas campanhas de imunização”, justifica Salomão.

O projeto exige que, além de profissionais de saúde, agentes comunitários de saúde e de combate às endemias, as vacinações obrigatórias priorizem também profissionais da imprensa e trabalhadores da educação, que deverão fazer parte da primeira fase de imunização. Segundo o texto, a prioridade também deverá valer para ações de testagem, prevenção, combate e controle de epidemias, inclusive na fase de testes de medicamentos e vacinas.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei.

Reportagem – Murilo Souza
Edição – Rachel Librelon

Comentários Facebook
publicidade

Política Nacional

Plenário conclui discussão sobre MP que destina crédito a empresas; sessão é encerrada

Publicado


.
Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados
Ordem do dia. Dep. Vinicius Poit (NOVO - SP)
Deputados poderão votar a medida provisória na sessão desta quinta-feira

O Plenário da Câmara dos Deputados prosseguirá nesta quinta-feira (9) a análise da Medida Provisória 975/20, que institui o Programa Emergencial de Acesso a Crédito (Peac) a fim de mitigar os efeitos econômicos da pandemia causada pelo novo coronavírus.

Nesta quarta-feira (8), foi encerrada a discussão sobre o projeto de lei de conversão apresentado pelo relator, deputado Efraim Filho (DEM-PB).

O texto original do Poder Executivo determinava a alocação de até R$ 20 bilhões em fundo administrado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para socorro a empresas com receita bruta entre R$ 360 mil e R$ 300 milhões.

O parecer de Efraim Filho vai além e prevê mais R$ 10 bilhões para ajuda emergencial a microempreendedores individuais, micro e pequenas empresas, associações e cooperativas, entre outros. Pelo texto, a ajuda poderá ser lastreada no montante a receber das vendas realizadas por meio das chamadas maquininhas de cartão eletrônico.

Outras propostas
Após a discussão sobre a MP, a sessão virtual do Plenário desta quarta-feira (8) foi encerrada. Nesta quinta, a partir das 13h55, também estarão na pauta outras quatro propostas relacionadas à pandemia, entre elas o PL 3058/20, que suspende metas dos prestadores de serviços na área de saúde; e o PL 1552/20, que trata da proteção de mulheres em situação de violência.

Reportagem – Ralph Machado
Edição – Pierre Triboli

Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Flávio Bolsonaro declara apoio a quem teve perfil derrubado pelo Facebook

Publicado


source
bolsonaro
Divulgação

Senador se ofereceu para divulgar na criação de novos perfis


O senador Flávio Bolsonaro usou o Twitter, na noite desta quarta-feira (08), para escrever uma mensagem de apoio aos usuários que tiveram seus perfis derrubados pelo Facebook , por suspeita de disseminação de conteúdo criminoso.


Ele afirma que “todos os perfis que foram injustamente censurados por Facebook e Instagram – aparentemente por apoiarem o presidente Bolsonaro”.

Na mesma mensagem, Flávio ainda se dispõe a ajudar esse usuários na divulgação de possíveis novos perfis. “Assim que criarem seus novos perfis para exercerem a sagrada liberdade de expressão, avisem no privado ajudarei a divulgá-los”, escreveu.

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana