Momento Entretenimento

“Quando saí do Pânico foi muito difícil”, diz Eduardo Sterblitch

Publicado

source

“Quando saí do ‘Pânico’ foi um momento difícil. Ganhava bem, saí para fazer teatro. Não queria fazer sucesso, queria fazer sentido, quero jogar, fazer coisas diferentes. E como sou bem ruim lidando com grana, percebei que fui maluco, porque sou assim, poucas pessoas arriscariam. Segui meu coração”, confessou Eduardo Sterblitch ao jornal O Dia , que cinco anos depois de sair do programa de humor colhe os louros do “salto no escuro”. “Pela primeira vez as pessoas pararam de me chamar de ‘o cara do Pânico ‘ e me chamam de ‘o cara da novela'”, vibra cheio de orgulho.

Leia também: Aniversariante, Eduardo Sterblitch surge nu no Instagram da mulher

Zec (Eduardo Sterblitch) arrow-options
TV Globo/Raquel Cunha

Zec (Eduardo Sterblitch)

Aos 32 anos, Eduardo Sterblitch está em uma das melhores fases da carreira. Além do sucesso do gente boa Zeca de “Éramos Seis”, da Globo , de quebra, o ator está em contagem regressiva para estar no ar em dose dupla com o personagem-título da série “Chacrinha”, que estreia hoje, às 22h17, também na Globo .

Leia também: De volta ao teatro, Eduardo Sterblitch vê humor mais desencontrado das pessoas

“Viver o Chacrinha foi o maior desafio da minha carreira. É muito difícil, ficava mentalizando, estudando cada frase, desconstruía tudo isso e troquei muito com o Stepan (Nercessian, que vive o Chacrinha na idade mais avançada)”, contou Sterblitch.

Leia mais:  Diogo descobre traição e tem conta bloqueada em "Bom Sucesso"

Foi como quem não quer não quer nada (mas abocanha tudo), que Edu chegou de mansinho na novela das 18h da Globo – sua estreia em folhetins – e hoje, 91 capítulos depois, o personagem Zeca já é um dos mais queridos do público. “No dia em que a autora Ângela Chaves visitou o estúdio, eu errei todas as cenas e falei que era por causa dela”, confidenciou ele, aos risos.

Furtado na Lapa

Eduardo Sterblitch em cena arrow-options
Eduardo Valentim

Eduardo Sterblitch em cena

Na história, Zeca (Sterblitch) foi passado para trás por Neves (Breno Nina), um antigo amigo que inventou uma falsa sociedade e roubou todo o dinheiro do matuto. Aliás, não é só na ficção que Edu conta que já passou por apertos. “No sábado, fui furtado na Lapa. Estava tirando umas fotos e levaram meu celular. O pior é que a câmera era boazona”, lamenta, com humor. “Agora estou com um bem baratinho. Não vou ficar dando grana para bilionário não”, pretestou.

Leia mais:  Em "Éramos Seis", Lola se desespera com nova dívida de Júlio

Quando questionado sobre a onda de ataques enfrentada pelo grupo Porta dos Fundos, Eduardo é categórico. “A sociedade é muito cristã, mas está distante do ensinamento de Cristo que é amar e servir ao outro independente de quem seja. Nos desacostumamos a dar afeto para o outro. Além do mais, os Estados Unidos têm um monte de obras na Netflix mesmo que poderiam ser consideradas como blasfêmias. É uma obra de ficção. E nós artistas temos que pensar em como tocar a alma e não brigar com as pessoas”, defendeu.

Paternidade

Zeca (Eduardo Sterblitch) arrow-options
Reprodução/TV Globo

Zeca (Eduardo Sterblitch)

Leia também: Após depressão, Eduardo Sterblitch volta ao “Pânico na Band”

Casado há cinco anos com a atriz Louise D’Tuani, Edu revela que o fato de viver um pai de família aumenta a vontade de aumentar a sua prole. “Claro que mexe. Eu penso nisso mesmo que não queira pensar, algumas vezes por dia, sei lá. Ainda mais com a chegada da filha da Tatá (Werneck) com o Rafa (Vitti) e do filho da Letícia (Colin) com o Michel (Melamed). Mas quando a sociedade impõe algo, eu normalmente vou na contramão dela, se querem que faço algo, eu faço o contrário”, provocou Eduardo Sterblitch .

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
publicidade

Momento Entretenimento

Tiago Leifert e Rodrigo Faro podem substituir Huck no “Caldeirão”

Publicado

source

IstoÉ

Com seu nome envolvido na política desde as eleições de 2018, o apresentador Luciano Huck pode ser um forte concorrente a disputar à presidência do Brasil. Caso Huck assuma essa função tão importante e da qual precisa de total dedicação, ele terá que deixar o comando de seu programa ‘Caldeirão do Huck’, da Globo .

Leia também: Luciano Huck deixará a Globo para concorrer à presidência, diz colunista

Rodrigo Faro, Luciano Huck e Tiago Leifert arrow-options
Reprodução

Rodrigo Faro, Luciano Huck e Tiago Leifert


Leia também: Angélica fala sobre possível candidatura de Luciano Huck à presidência

Nomes como o de Tiago Leifert, apresentador de dois programas da casa, ‘The Voice Brasil’ e do ‘Big Brother Brasil’, e o de Rodrigo Faro , que comanda a atração ‘A Hora do Faro, da Record, estão na mira da emissora do Plim Plim para substituir o marido de Angélica.

Leia também: Angélica confessa ter fingido orgasmo e admite recaída com ex-namorado

Nesta sexta-feira (17), os colunistas do programa ‘A Tarde é Sua’, apresentado por Sônia Abrão, reforçaram essa ideia da emissora global apostar em um dos apresentadores para ficar no lugar de Luciano Huck .

Leia mais:  Aos 77, Susana Vieira surge sem make e beleza impressiona
Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento Entretenimento

“Nenhum Carnaval vai superar o de Salvador”, diz vocalista da Banda Eva

Publicado

source

Neste Carnaval, o fenômeno que arrasta multidões na folia de rua de Salvador chamado Banda Eva comemora 40 anos. Para marcar a data, Felipe Pezzoni , líder do grupo quer “abalar como seja for”, como diz uma das canções recentes do grupo.

Leia também: Expectativa: quem são as grandes musas do Carnaval de 2020?

Felipe Pezzoni comandando o show do DVD de 40 anos da Banda Eva em Belo Horizonte arrow-options
Divulgação

Felipe Pezzoni comandando o show do DVD de 40 anos da Banda Eva em Belo Horizonte



A apresentação do Bloco Eva em Salvador acontece na sexta (21) e no sábado (22) de Carnaval. A Pipoca da Eva, a versão gratuita da festa, sem abadá e cordão, estoura na quinta (20). Em São Paulo, a Banda Eva desfilará antes do Carnaval, no dia 15 de fevereiro, com o nome Bloco Beleza Rara em local ainda indefinido.  No ano passado, reuniu um milhão de pessoas no Brooklin, na zona sul da cidade.

Boom!

O Carnaval de rua da capital paulista tem crescido exponencialmente. Neste ano, terá número recorde de blocos e cordões desfilando, 55,5% superior aos cadastrados no carnaval de 2019. São 865 blocos e cordões inscritos para 960 desfiles, de acordo com a prefeitura, o que indica que o carnaval de rua de São Paulo pode se tornar, em 2020, o maior do país. Ao menos nos números.

Leia mais:  Alberto chama Vera de "Paloma" após beijá-la em "Bom Sucesso"

Questionado sobre isso, Felipe não acredita a possibilidade de um dia o Carnaval de São Paulo superar o da Bahia.  “A verdade é que Carnaval tem crescido no Brasil inteiro, em Belo Horizonte, Brasília e muitos outros lugares. Mas acho que nenhum Carnaval vai conseguir superar o de Salvador. A gente já faz há muitos anos, sabe como faz”. O baiano explica a receita: “o nosso formato é muito diferente de qualquer outro lugar, essa questão de ter muitas opções, camarote, bloco, pipoca. Isso é uma coisa muito nossa”.

É pique!

Felipe espera que o show da Banda Eva no Circuito Barra Ondina de Salvador seja marcante mas  guarda os detalhes a sete chaves: “Terá toda a magia e a alegria da Banda Eva só que ainda mais especial. Todo mundo vai estar com essa energia, com essa vibração de comemoração, de celebração desses 40 anos. Vai ser inesquecível. Um momento único em nossas vidas, em nossas carreiras e na história do Eva”.

Leia também: IZA é sondada para ocupar (outro) cargo importante no Carnaval 2020 

A Eva é dona de vários hits como me “Me abraça e Me Beija”, “Leva eu”, “Beleza Rara”  e já revelou feras da música como Ivete Sangalo, Luiz Caldas, Emanuelle Araújo, Ricardo Chaves e Saulo Fernandes. “É uma instituição que tem extrema relevância para o Carnaval como um todo. Sempre foi essa escola de vanguarda”, explica.

Leia mais:  Arrependido e fazendo terapia, MC Gui fala sobre menina na Disney: "Fui imbecil"

Além de Ivete, Felipe admira muito Durval Lelys, vocalista e guitarrista do Asa de Águia, que também já liderou a Banda Eva na década de 80.  E, claro, todos os outros artistas que participaram do seu último DVD, o de 40 anos da Banda Eva. Entre eles, Wesley Safadão, Léo Santana, Mumuzinho e Tomate.



Leia também: Alok estreia bloco de carnaval em São Paulo: “Melhor época do ano” 

Do time de vocalistas que passaram pela Banda Eva apenas Durval Lelys e Ivete Sangalo participaram do DVD de 40 primaveras.  Um detalhe mostra o astral de Felipe. Ele diz que não gosta de artistas que não são gente boa. Mesmo se o sujeito for talentoso,  mas aprontar alguma, ele para de apreciar o som da pessoa. “Admiro muita gente, mas se não for profissional e pessoal, não acontece. Tem que ter os dois. Admiro o artista, cantor, mas quando não tem o outro lado, perco a admiração. Acho que uma coisa completa a outra”, conclui.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana