Momento Economia

Rodrigo Maia fala em votar reforma tributária em março de 2020

Publicado

source
Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre arrow-options
Geraldo Magela/Agência Senado

Presidente da Câmara dos Deputados ao lado do presidente do Senado Davi Alcolumbre; segundo Rodrigo Maia, propostas de reforma tributária das duas casas serão unificadas

A reforma tributária pode ser votada em março de 2020 no plenário da Câmara dos Deputados. A expectativa é do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). 

Reforma tributária: “quem tem três propostas, não tem nenhuma”, diz Alcolumbre

“A nossa intenção é trabalhar esses dois meses [novembro e dezembro], ter o texto pronto até o final do ano e, assim que o Congresso seja reaberto , que a gente possa votar na comissão, e até março no plenário”, afirmou Maia.

A declaração foi feita neste sábado (16) durante uma entrevista a jornalistas em Nova York , onde Maia recebeu o prêmio Woodrow Wilson de Serviço Público. As informações são do site G1.

Após mudanças na Previdência, outras reformas serão mais difíceis para governo

Sobre o clima político no Congresso Nacional para discutir mudanças nos impostos do País, Rodrigo Maia afirmou que a reforma tributária “nasceu” no Congresso e que isso facilitaria o debate sobre o tema.  

“Então, há um comprometimento maior, maior responsabilidade dos parlamentares no texto que foi criado pela Casa, isso facilita a tramitação”, disse.

Puxão de orelha? Alcolumbre cobra atuação maior do governo na reforma tributária

A Câmara e o Senado, porém, discutem propostas de reforma tributária diferentes . Além disso, o governo também estuda uma proposta própria, mas não chegou a apresentá-la para o legislativo.

Diálogo

O deputado  Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) é o relator da reforma tributária na Câmara. A proposta em análise foi apresentada pelo deputado Baleia Rossi (MDB-SP) e pelo economista Bernard Appy.

Já no senado, a reforma tributária  tem como relator  Roberto Rocha (PSDB-MA). O texto foi elaborado por um grupo de senadores e foi apresentada pelo então deputado federal Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), que chegou a ser aprovada em comissão especial na Câmara, mas não chegou a ser analisada em plenário.

“O deputado Baleia junto com o Appy e a equipe econômica vão começar, junto com os senadores, principalmente o Roberto, vão começar a dialogar e tentar construir um texto que resolva esse problema que ainda existe no setor de serviços, por causa da alíquota do novo imposto de bens e serviços”, afirmou Rodrigo Maia.

Comentários Facebook
publicidade

Momento Economia

Guedes sobre Davos: “Não esperavam nada da gente e agora nos dão reconhecimento”

Publicado

source
paulo guedes arrow-options
World Economic Forum/Ciaran McCrickard

Participação de Paulo Guedes no Fórum Econômico Mundial

Em um balanço de seus quatro dias de atividades no Fórum Econômico Mundial , o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a elite política e empresarial reunida em Davos fez um “reconhecimento” do Brasil como nova fonte de crescimento para a economia global.

Ele fez uma comparação com o ambiente visto na edição do ano passado e assegurou que a abordagem dos investidores com o país agora é outra.

Tributos: Paulo Guedes afirma em Davos que avalia criar “imposto do pecado”; entenda

“A descrença era tão grande, botaram a gente tão lá embaixo, que a expectativa era zero” – afirmou Guedes, antes de se despedir do fórum e iniciar a viagem de volta para Brasília.

Segundo o ministro, a reforma da Previdência e o cumprimento da meta para privatização de ativos foram sinais bem recebidos.

Para ele, na edição do ano passado, a imagem do Brasil ainda estava arranhada por causa da corrupção e havia preocupação com eventuais “excessos” do presidente Jair Bolsonaro.

Governo estuda mudar período usado para corrigir salário mínimo

 “Não esperavam quase nada da gente e agora olham para gente como fonte de crescimento “, observou Guedes, relatando conversas com autoridades do Fundo Monetário Internacional (FMI), que lhe falaram sobre a “desaceleração sincronizada” da economia mundial.

“A América Latina está estagnada. A Argentina está ferrada, a Venezuela está ferrada. Quando a gente olha para a América Latina, só o Brasil aparece”, declarou.

O ministro garantiu que nenhum investidor em Davos levantou com ele questões ambientais , mas ouviu elogios ao “bom funcionamento da democracia brasileira” e fez questão de “dividir a responsabilidade [pela recuperação econômica do país] com o presidente e com o Congresso”.

Saiba mais: Arrecadação federal passou R$ 1,5 trilhão, entenda porque isso é uma boa notícia

“O resultado disso é que as reformas estão avançando e o Brasil virou a nova fronteira de investimentos”, celebrou Guedes.

“Só Estados Unidos, China e Cingapura receberam mais investimentos diretos estrangeiros do que o Brasil em 2019. Graças à aprovação das reformas, estamos virando a última fronteira de investimentos. E vamos fazer reformas até o último dia deste governo”, garantiu.

Brasil foi o quarto país que mais recebeu investimentos estrangeiros em 2019

A partir das discussões em Davos, Guedes relatou ainda sua percepção de que “vão existir moedas regionais fortes” dominando o mundo daqui a 15 ou 20 anos.

E aproveitou a abordagem do assunto para dizer que esclareceu, às autoridades americanas, que o Brasil não faz nenhuma manipulação cambial .

O assunto foi lembrado por conta da ameaça feita pelo presidente Donald Trump de taxar as exportações brasileiras de aço e alumínio para os Estados Unidos. Isso ocorreu quando o dólar ultrapassou a barreira de R$ 4,20 no Brasil.

“Vamos ter que nos acostumar com juros baixos e câmbio mais alto”, avaliou o ministro.

Guedes contou ter conversado, por telefone, com os secretários americanos do Tesouro, Steve Mnuchin, e do Comércio, Wilbur Ross, para desfazer o mal entendido e evitar sobretaxa ao aço e ao alumínio.

“Eu disse que estavam dando um tiro em algo errado, que nós fizemos tudo certo”, afirmou o ministro brasileiro. “E o que eles responderam? Pode deixar, nós vamos falar com o (Donald) Trump aqui”, concluiu.

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento Economia

Mega-Sena acumulada: veja os números sorteados nesta quinta-feira

Publicado

source
aposta arrow-options
iG São Paulo

Ninguém acertou as seis dezenas da Mega-Sena em 2020; confira os números sorteados nesta quinta-feira

Mega-Sena  sorteou nesta quinta-feira (23) o concurso 2.227 com um prêmio estimado em R$ 35 milhões. As seis dezenas foram sorteadas no Espaço Loterias Caixa, em São Paulo.

São elas:  06, 09, 12, 27, 32, 57

O concurso faz parte da Mega-Semana de Verão, que oferece uma chance extra ao apostador ao realizar três concursos semanais , ao invés de dois. A Caixa ainda não informou se houve ganhadores nesta quinta-feira. 

A Mega-Sena está acumulada há  seis concursos , desde a Mega da Virada, que foi sorteada no último dia de 2019.

Já imaginou ganhar a Mega-Sena? Veja como prêmios são pagos com segurança

O último sorteio da semana especial ocorre neste sábado (25), concluindo os três concursos da semana especial. 

Como funciona

O concurso é realizado pela  Caixa Econômica Federal  e pode pagar milhões ao sortudo que acertar as seis dezenas. Os sorteios ocorrem ao menos duas vezes por semana – normalmente, às quartas-feiras e aos sábados.

Bolão vale a pena? Matemático dá dicas para ter mais chances na Mega-Sena

O apostador também pode ganhar prêmios com valor mais baixo caso acerte quatro ou cinco números, as chamadas Quadra e Quina, respectivamente.

Na hora de jogar, o apostador pode escolher os números ou tentar a sorte com a  Surpresinha  – nesse modelo, o sistema escolhe automaticamente as dezenas que serão jogadas. Outra opção é manter a mesma aposta por dois, quatro ou até oito sorteios consecutivos, a chamada  Teimosinha .

Premiação

Os  prêmios iniciais costumam ser de aproximadamente R$ 3 milhões para quem acerta as seis dezenas. O valor vai acumulando a cada concurso sem vencedor.

Também é possível ganhar prêmios ao acertar quatro ou cinco números dentre os 60 disponíveis no volante de apostas. Para isso, é preciso marcar de seis a 15 números do volante.

Leia também: Dinheiro da aposta não serve só para premiar: quem ganha com recurso da loteria?

O prêmio bruto da Mega-Sena corresponde a 43,35% da arrecadação.

Desse total, 35% são distribuídos entre os acertadores dos seis números sorteados; 19% entre os acertadores de cinco números (Quina), 19% entre os acertadores de quatro números (Quadra), 22% ficam acumulados e distribuídos aos acertadores dos seis números nos concursos de final zero ou cinco e 5% ficam acumulado para a primeira faixa (Sena) do último concurso do ano de final zero ou cinco.

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana