Carros e Motos

Toyota Hilux renovada ganhará uma série de novidades

Publicado


source


Toyota Hilux arrow-options
Divulgação

Toyota Hilux da linha 2021 terá retoques no visual e nova central multimídia para ganhar apelo diante dos principais concorrentes no mercado

A versão renovada da picape Toyota Hilux está pronta para estrear em alguns mercados e deve chegar ao Brasil no segundo semestre, mas sem data precisa por conta da pandemia causada pelo novo coronavírus. De qualquer forma, entre as mudanças que serão adotadas, destacam-se itens como motor turbodiesel mais potente, retoques no visual e nova central multimídia.

LEIA MAIS: Veja 5 picapes intermediárias que serão lançadas no Brasil até 2025

Quanto ao desenho, a Toyota Hilux da linha 2021 terá uma frente com novos detalhes estéticos para dar uma ideia de mais robustez ao utilitário . Serão alterações sutis na grade frontal, para-choque e faróis, apenas para deixar o carro com aspecto atualizado, algo importante para manter o apelo do modelo no mercado.

Outro ponto que vai mudar na Toyota Hilux 2021 será o motor turbodiesel. O 2.8 passará a ter mais força e menores índices de emissões. Portanto, espere mais que os 177 cv e 42,8 kgfm atuais. E, também, pelo menos uma versão híbrida, pois essa é a nova tendência entre os utilitários dos próximos dois anos, quando as picapes elétricas deverão chegar com força total no sentido mais amplo da palavra.

LEIA MAIS: Por que a Fiat Toro vende (bem) mais que as outras picapes?

Como não poderia deixar de ser, a central multimídia também terá novidades. Passará a ser compatível com Android Auto e Apple Carplay, algo que estava faltando no utiitário da marca japonesa, assim como um funcionamento mais intuitivo e prático no dia a dia. Depois que estiver atualizada a Toyota Hilux poderá enfrentar as rivais com mais apelo.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
publicidade

Carros e Motos

Vendas de veículos despencam 19,1% no pior março em 14 anos

Publicado


source
vendas arrow-options
Divulgação

Com fábricas paradas e lojas fechadas, as vendas de veículos caíram bastante e devem ser piores ainda em abril próximo

No primeiro balanço de vendas de veículos depois que a pandemia do novo coronavírus atingiu o Brasil e o mundo, os números apontam uma queda busca de 19,1% no pior março dos últimos 14 anos.

LEIA MAIS: Concessionárias e lojistas usam criatividade para sobreviver na crise

Foram apenas 155.772 automóveis e comerciais leves emplacados no mês passado, de acordo com adados do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores). Entretanto, espera-se que em abril os dados de vendas de veículos sejam ainda mais desanimadores, já que até a metade de março as lojas estavam abertas.

No sobe e desce dos modelos disponíveis no mercado brasileiro atuamente, o Chevrolet Onix ainda conseguiu se manter na liderança, embora tenha sofrido queda de 32% nas vendas na comparação a fevereiro. Portanto, em março, fechou em 12.007 unidades, ante 7.042 do Hyundai HB20, o segundo colocado. Logo em seguida, vem o Ford Ka, com 7021 unidades, apenas 21 de diferença.

LEIA MAIS: A Indústria automotiva precisa mudar de marcha pós-coronavírus

O quarto lugar nas vendas de março ficou com o Chevrolet Onix Plus, que havia sido o segundo em fevereiro e teve vendas 26,7% menores em março, com 6.670 unidades, seguido do Fiat Argo , com 6.071, o único modelo que apresentou alta na comparação com o mesmo anterior, com 2,6% a mais. Confira abaixo como ficou o quadro das vendas de veículos no mês de março.

1 – Chevrolet Onix: 12.007
2 – Hyundai HB20: 7.042
3 – Ford Ka: 7.021
4 – Chevrolet Onix Plus: 6.670
5 – Fiat Argo: 6.071
6 – VW Gol: 5.681
7 – Fiat Strada: 4.798
8 – Jeep Renegade: 4.494
9 – VolkswagenW T-Cross: 4.418
10 – Renault Kwid 4.109

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Como gasolina batizada piora consumo da moto, como se previnir e reverter danos

Publicado


source
Gasolina arrow-options
Divulgação

Pode parecer difícil identificar qual gasolina é adulterada, mas há dicas de como, além dos cuidados se a moto já foi afetada

A NGK, especialista em velas de ignição, constatou que a presença de óxido de ferro na ponta das velas de ignição de veículos está fortemente relacionada com o abastecimento de gasolina adulterada, de baixa qualidade. No caso das motocicletas — categoria que os especialistas da marca buscaram o maior enfoque — isto fez com que o consumo de combustível observado elevasse muito, segundo o que clientes e mecânicos têm relatado à empresa. Com isso, a NGK levantou algumas orientações para o motociclista, que pode estar abastecido com gasolina de má qualidade, cheia de metais pesados, algo proibido pela ANP (Agência Nacional do Petróleo).

LEIA MAIS: Veja cinco motos elétricas entre R$ 9 mil e R$ 20 mil à venda no Brasil

Como faz para identificar a contaminação por óxido de ferro, que é o poluente mais comum em uma gasolina adulterada ? “A forma mais fácil de identificar o uso de combustível contaminado por óxido de ferro é por meio de uma inspeção visual. A ponta do isolador, parte cerâmica da vela de ignição vermelha, o eletrodo lateral e o castelo metálico, parte da rosca da vela, vermelhos são indicativos de contaminação da vela”, alerta Hiromori Mori, consultor da Assistência técnica da NGK do Brasil. Ao identificar a contaminação nas velas de ignição, o primeiro passo é a substituição das mesmas.

LEIA MAIS: KTM 200 Duke chega com condições especiais por tempo indeterminado

Vela arrow-options
Divulgação

Aspecto de uma vela de ignição contaminada, com aspecto avermelhado, por gasolina ruim. Sua troca é simples e pode ser feita por você mesmo

Por meio de pesquisas, a multinacional japonesa constatou que pouco tempo após o início da utilização, as velas de ignição apresentam acúmulo de resíduos, causando dificuldades de partida, falhas de funcionamento em médias e altas rotações, além de elevação do nível de emissões de poluentes e consumo de combustível .

LEIA MAIS: Honda, Yamaha e BMW interrompem atividades nas fábricas de Manaus

Diante disso, o que se deve fazer após constatar a gasolina adulterada e realizar a substituição das velas de ignição da moto é: começar a procurar postos de combustível de confiança; evitar combustíveis com preços muito baixos; sempre pedir a nota fiscal do combustível; aditivos não homologados pelas fabricantes de motocicletas e sem aprovação da ANP também devem ser evitados.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana