Momento Cidades

Tribuna Livre faz prévia de Audiência Pública que vai discutir depressão

Publicado

A enfermeira Maria Aparecida Milhomem, da Equipe Técnica de Coordenação de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde, utilizou o espaço Tribuna Livre na sessão ordinária desta terça-feira (24) para relatar as condições atuais que a rede municipal de saúde dispõe para atender aos casos de transtorno mental, fator destacado que leva ao cometimento de suicídios.
A profissional compareceu ao Legislativo Municipal a convite do vereador Toninho de Souza (PSD). Toninho justificou como a prévia de um debate que vai ocorrer no próximo dia 30 (segunda-feira, a partir das 9h, no Plenário da Câmara), em uma Audiência Pública que vai debater a necessidade de “tratamento, prevenção e acolhimento” às pessoas que apresentam quadro de depressão.
O vereador disse que é preciso mostrar à sociedade que a rede pública municipal já tem um encaminhamento para o tratamento do transtorno mental. “Reconheço, porém, que existem carências, sobretudo, quanto à depressão”, alertou.
Ele salientou que propôs a Audiência Pública com o intuito de exigir do poder público a implantação de uma linha de atuação para o atendimento dos casos de depressão e de doenças correlacionadas, como o autismo, hiperatividade e outras. “O município já dispõe de profissionais capacitados e estrutura para ao menos começar esse trabalho”, disse Toninho.
A enfermeira explicou que os quadros classificados como alteração da saúde mental, desde há pelo menos 20 anos, vem passando por uma adequação, no Brasil, que envolve a adoção de nova metodologia de tratamento.
Com isso os tradicionais locais de internação – como o Hospital Adauto Botelho – vão sendo substituídos por outros espaços, na intenção de tornar o tratamento mais humanizado. “O confinamento de pacientes, já está provado, mais complica do que ajuda no tratamento, porque afasta o indivíduo do convívio familiar e social”, revelou Milhomen.
Os quadros classificados como problemas mentais, observou a palestrante, estão, geralmente, relacionados ao uso de álcool e outras drogas e são caracterizados como agravos à saúde mental e têm ligação direta à maioria dos casos de suicídio.&nbsp
TRATAMENTO – Em Cuiabá, conforme relatou Milhomen, está em funcionamento a RAPS (Rede de Atenção Psicossocial) – programa co-financiado pelo governo estadual – que dispõe de 5 Caps (Centros de Atenção Psicossocial), locais onde funcionam serviço que dá assistência às pessoas adultas com transtornos mentais severos ou pessoas em uso ou abuso de álcool e outras drogas seis residências terapêuticas, casas de moradia destinadas a pessoas com transtornos mentais impossibilitadas de retornar às suas famílias de origem ambulatórios de saúde mental, sendo quatro adultos e um infantojuvenil, que funcionam nas policlínicas.
Além disso, planeja-se a construção de duas unidades de acolhimento. Um serviço inovador no tratamento dos transtornos mentais, conjuntamente, a possibilidade de reestruturar o prédio do antigo Pronto Socorro criando entre 12 e 15 leitos de observação de pacientes.
Hoje o que mais falta no estado como um todo e não só em Cuiabá, é um hospital geral voltado para o atendimento dos pacientes com transtorno mental. Nesse quesito, Mato Grosso é o único estado do Centro Oeste que não dispõe de hospital generalista e, inclusive, fere legislação federal que estabelece a obrigatoriedade da existência de pelo menos uma dessas unidades em cada ente federado.
A ampliação da rede de atendimento a pacientes que apresentam quadro de transtorno mental é essencial para o propósito da Audiência Pública, pois, conforme sustentam diversos estudos, 90% dos suicidas não procuraram atendimento especializado.
A questão é bastante complexa, contudo. Além das dificuldades inerentes aos quadros que se compõem de sintomas semelhantes, dificultando diagnóstico e tratamento, acrescentam-se estigmas solidificados na sociedade, que ao longo da história desenvolveu o costume de afastar e até mesmo encarcerar as pessoas que manifestam comportamento fora do padrão social.

Etevaldo de Almeida | Câmara Municipal de Cuiabá

Imprimir Voltar Compartilhar:  

</div

Fonte: Câmara de Cuiabá MT

Comentários Facebook
publicidade

Momento Cidades

Veja os dados do painel Covid-19 deste sábado (11)

Publicado


.

Neste sábado (11), Cuiabá tem 6205 casos confirmados de Covid-19 de residentes no município e 1450 de não residentes, mas que estão sendo atendidos na capital. Dos confirmados, 1208 já estão recuperados da doença e houve 313 óbitos de residentes e 151 de não residentes.

Na rede hospitalar há 319 pacientes confirmados com Covid-19 internados, sendo 205 na UTI e 114 em enfermaria. Também estão internados 213 pacientes com suspeita da doença, sendo 92 na UTI e 121 em enfermaria. Do total de pessoas internadas em UTI, 208 são de residentes em Cuiabá e 89 de residentes de outros municípios. Do total de internados em enfermaria/isolamento, 186 pessoas são de Cuiabá e 49 de outros municípios.

Hoje Cuiabá registrou mais 11 óbitos de residentes, chegando a um total de 313 mortes. O prefeito Emanuel Pinheiro e o secretário municipal de Saúde, Luiz Antonio Pôssas de Carvalho lamentam profundamente todos estes óbitos.

Segue abaixo a relação dos óbitos:

-Homem, 67 anos, internado em hospital público. Tinha hipertensão e diabetes. Foi a óbito em 17/06.

-Homem, 77 anos.  Não foi divulgado onde estava internado. Tinha diabetes. Foi a óbito em 04/07.

-Mulher, 82 anos, Não foi divulgado onde estava internada. Tinha hipertensão. Foi a óbito em 04/07.

-Homem, 55 anos, internado em hospital privado. Comorbidade em investigação. Foi a óbito em 09/07.

-Homem, 60 anos, internado em hospital privado. Tinha diabetes e neoplasia. Foi a óbito em 09/07.

-Homem, 81 anos, internado em hospital público. Tinha cardiopatia. Foi a óbito em 10/07.

-Mulher, 67 anos, internada em hospital público. Não tinha comorbidade. Foi a óbito em 10/07.

-Mulher, 88 anos, internada em hospital privado. Não tinha comorbidade. Foi a óbito em 10/07.

-Homem, 60 anos, internado em hospital público. Tinha hipertensão e diabetes. Foi a óbito em 10/07.

-Homem, 80 anos, internado em hospital privado. Tinha doença renal. Foi a óbito em 10/07.

-Mulher, 21 anos, internada em hospital privado. Comorbidade em investigação. Foi a óbito em 11/07.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento Cidades

Mais de 3 mil pessoas foram atendidas no terceiro dia de barreiras sanitárias em Cuiabá

Publicado


.

De acordo com o relatório da Vigilância Sanitária de Cuiabá, o terceiro dia de barreiras sanitárias, realizado na sexta-feira (10), registrou o atendimento a 3.242 pessoas, nos quatro pontos que receberam a instalação das estruturas. Conforme o documento, no período das 8h às 17h, 1.691 veículos foram abordados pelos servidores envolvidos na operação. 

Desse total, apenas quatro pessoas necessitaram de encaminhamento para uma unidade de saúde, por apresentarem sintomas da Covid-19. Na rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251), que liga Cuiabá à Chapada dos Guimarães, passaram pela barreira 506 veículos, sendo 462 carros/caminhonetes, dois caminhões, 38 motos, quatro micro-ônibus/vans/ônibus. Somados todos eles, 1.091 pessoas foram atendidas somente na MT-251. 

Na Rodovia Palmiro Paes de Barros (MT-040), estrada que dá acesso ao município de Santo Antônio do Leverger, foram 454 veículos, divididos em 411 carros/caminhonete, 10 caminhões, 31 motos, dois micro-ônibus/vans/ônibus. Ao longo do dia, 769 pessoas foram atendidas pelos servidores da Vigilância Sanitária. 

Já na Rodovia Helder Cândia (MT-010), utilizada como ponto de acesso ao Distrito de Nossa Senhora da Guia, a abordagem alcançou 412 veículos, sendo 386 carros-caminhonetes, cinco caminhões, 20 motos, um micro-ônibus/van/ônibus. A bordo dos veículos, foi computado o atendimento a 804 ocupantes. 

Por último, pela barreira instalada na rodovia federal BR-163/363/070 (saída para Rondonópolis) passaram 319 veículos, os quais 289 eram carros/caminhonetes, sete caminhões, 19 motos, quatro micro-ônibus/vans/ônibus. No total, 578 pessoas receberam atendimento nesta estrutura. 

As barreiras sanitárias acontecem na rodovia federal BR-163/363/070 (saída para Rondonópolis), na MT-040 (estrada para Santo Antônio do Leverger), na Rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251, estrada para Chapada dos Guimarães) e na Rodovia Helder Cândia (MT-010, que liga Cuiabá ao Norte do estado). As intervenções funcionam até o próximo dia 14, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Nas abordagens são efetuados a aferição da temperatura corporal dos condutores e passageiros de veículos, aplicação de um questionário junto aos condutores e passageiros, e desinfecção dos pneus dos veículos com cloreto de benzalcônio. Caso a pessoa apresente sintomas da Covid-19, é orientada a procurar assistência médica em uma unidade e saúde mais próxima ou na rede privada. 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana