Carros e Motos

Troller TX4 chega com câmbio automático

Publicado

source

Motor Show

Troller, TX4, jipe arrow-options
Divulgação

Troller TX4 é a primeira versão com câmbio automático. Além disso, há para-choques redesenhados entre as novidades




A Troller anunciou o lançamento do TX4. Mostrada como conceito no Salão de São Paulo de 2018, a nova variação do T4 chega trazendo como principal novidade o câmbio automático.

LEIA MAIS: Troller T4 2020 estreia com poucas novidades. Saiba o que mudou

Diferente do T4 2020 , que traz vários elementos da carroceria na cor cinza, o Troller TX4 traz grade dianteira, capô, teto, tampa traseira, para-choque, estribos e snorkel pintados na tonalidade Azul Naval, que pode ser combinada às cores Marrom Trancoso, Verde Maragogi ou Prata Geada.

LEIA MAIS: Troller T4 2019: moldado em barro. Confira avaliação do jipe que gosta de lama

A lista de equipamentos do modelon com apelo off-road ganhou novos para-choques dianteiros de aço com faróis auxiliares de LED e o interior com novos elementos de acabamento e itens de conforto. Outros detalhes do veículo serão divulgados no fim de novembro. Confira abaixo o vídeo oficial de lançamento do Troller TX4 2020. 

Leia mais:  Fiat Argo está prestes a ganhar nova versão Trekking com motor 1.8



Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
publicidade

Carros e Motos

Caoa Chery confirma novos Tiggo 5X e Tiggo 7 para 2020

Publicado

source

Motor Show

Chery arrow-options
Divulgação

Chery Tiggo 7, já com as mudanças da linha 2020, ainda será anunciado e revelado oficialmente pela CAOA

Lançados no fim do ano passado (Tiggo 5X) e no início deste ano (Tiggo 7) no mercado brasileiro, os SUVs da Caoa Chery vão mudar em 2020. A informação foi confirmada pela montadora nesta terça-feira (10), durante almoço com jornalistas.

LEIA MAIS: Chery QQ, o carro mais barato do mercado, sai de linha no Brasil

O menor Tiggo 5X vai ganhar uma leve reestilização, revelada no ano passado na China e que inclui mudanças na dianteira e no interior. Já o novo Tiggo 7 , mostrado em novembro no mercado chinês, é um novo Chery montado sobre a mesma base do atual.

LEIA MAIS: Veja as inovações apresentadas no Salão de Xangai

A marca não revelou se as alterações no visual do carro serão acompanhadas de mudanças mecânicas. Na China, o motor 1.5 turbo usado nos dois modelos ganhou 6 cv com a adoção da injeção direta de combustível. No novo Tiggo 7, outra novidade é a opção do propulsor 1.6 turbo de 197 cv.

Leia mais:  Nova Honda CBR 1000RR Fireblade é flagrada em testes no Autódromo de Suzuka

Futuro

Chery arrow-options
Divulgação

Chery Tiggo 8, o maior SUV da marca chinesa, é uma das possibilidades a serem anunciadas ano que vem

A Caoa Chery espera ultrapassar a marca de 20 mil carros vendidos no Brasil este ano. Para 2020, a meta é ainda mais ambiciosa: a de ultrapassar 50 mil automóveis emplacados. Para isso, além dos dois SUVs, estão nos planos da empresa o lançamento de um novo sedã (que será feito junto do Arrizo 5 na fábrica de Jacareí (SP) e de um outro SUV (provavelmente o Tiggo 8), que irá fazer companhia na linha de montagem de Anápolis (GO) para os Tiggo 5X e 7.

LEIA MAIS: Sedã JAC J7 chega ao Brasil em 2020

A montadora sino-brasileira estuda ainda trazer para o Brasil o utilitário Exeed LX, um modelo mais sofisticado que é baseado no Chery Tiggo 7.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Vendas para locadoras e PcD ganham muita força em 2019

Publicado

source
locadoras de veículos arrow-options
Divulgação

Vendas para locadoras aumentam bastante no Brasil durante 2019 levadas pelo alto custo de ter um carro no País

A indústria automotiva está se transformando, em uma tentativa de adaptar-se aos novos tempos. Na próxima década, a queda do interesse dos jovens em ter um carro será acentuada, muitas pessoas descobrirão que podem ser proprietárias de veículos PCD e modelos elétricos terão mais destaque. É o que Sérgio Habib, presidente da JAC Motors do Brasil, prevê para 2020 e os anos subsequentes.

LEIA MAIS: Veja 5 detalhes que você precisa saber sobre aluguel de carros

Durante a apresentação do novo SUV T60 , o executivo revelou detalhes que normalmente ficam ocultos em análises de mercado mais rasas. Afinal, será que a indústria realmente está retomando o volume de vendas, ou os números estão equivocados? Habib propõe que o assunto seja avaliado por tópicos. 

Mudança de comportamento

Um estudo divulgado pelo Denatran aponta que o número de jovens habilitados entre 18 e 21 anos caiu 20,61% no período de 2014 a 2017. Muitos atribuem o fenômeno à crise econômica, uma vez que tirar a habilitação exige um grande esforço financeiro por parte do cidadão. Mas a comodidade de apps de carona como Uber, 99 e Cabify também influencia na decisão de abandonar o carro.

Pedindo uma corrida por aplicativo, o usuário estará blindado do desgaste de pneus, manutenção, seguro, combustível e a desvalorização. Esses custos, na teoria, seriam repassados para o motorista que dirige pelo app. Por conta disso, muitos também abandonaram a ideia de ter um carro próprio e passaram a apostar nos veículos de locadora .

Fenômeno do carro alugado

Habib, JAC, mercado arrow-options
Divulgação

Hoje em dia, apenas 56,2% dos carros vendidos vêm das concessionárias ante 73,9% entre 2011 e 2014

“No período entre 2011 e 2014, veículos de locadoras representavam, em média, 5,4% das vendas nacionais”, destaca Habib. “Em 2019, este número já atingiu 18% do mix. O comportamento do consumidor mudou, e os números seguem a mesma lógica”.

Leia mais:  VW Apollo GLS e Ford Verona GLX eram faces da mesma moeda

Da mesma forma, Habib mostra que 73,9% dos carros emplacados entre 2011 e 2014 eram vendidos por concessionárias. Hoje, o número corresponde a apenas 56,2%. Se entre 2011 e 2014 as concessionárias venderam, em média, 2.580.024 automóveis, em 2019 o número caiu para 1.517.400. 

Ou seja, com a crescente na preferência por carros alugados, as concessionárias estão emplacando cada vez menos. Isso acaba refletindo em outro fenômeno que influencia diretamente na arrecadação de imposto por parte da montadora, algo que Sérgio Habib classifica como uma “brecha” jurídica.

Pão de queijo e alfajor

Habib diz que as leis mais “mansas” para carros de locadora causam disparidade no emplacamento de veículos por Estado e, consequentemente, um impacto na arrecadação do Governo. É por conta da alíquota de 1% no IPVA para veículos dessa categoria que carros emplacados em Belo Horizonte (MG) ganharam as ruas de todo o Brasil.

LEIA MAIS: Conheça 5 novos micos do mercado que você não deve comprar em 2019

Enquanto os emplacamentos de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Curitiba e Goiânia caíram na comparação entre 2014 e 2019, Belo Horizonte teve alta de 144%. Apenas neste ano, é estimado que a capital mineira contará com o emplacamento de 470 mil automóveis – superando por muito os 240 mil veículos de São Paulo (SP). 

Para se ter uma ideia da dimensão, Habib diz que Belo Horizonte, sozinha, deverá superar as vendas de toda a Argentina em 2019. Não à toa, o dono da Localiza bancou 44% da campanha do atual governador de Minas Gerais, Romeu Zema, de acordo com o jornal mineiro “O Tempo.”

PCD

vendas para PcD arrow-options
Divulgação

Brechas na lei acabam tornando bem fácil comprar um carro com dos benefícios previstos para o público PcD

O levantamento divulgado pelo presidente da JAC Motors do Brasil também coloca uma luz sobre os números de vendas para pessoas com deficiência. “Praticamente qualquer um pode ser considerado PCD”, disse Habib aos jornalistas. “Tenho certeza que 90% de vocês poderia comprar um veículo PCD. Eu posso, pois sou idoso e minha mãe, que tem Alzheimer, depende de mim. Mas se você quebrar o pulso jogando bola, ou fizer cateterismo, também poderá comprar um carro para deficientes por dois anos”.

Leia mais:  Fiat Argo está prestes a ganhar nova versão Trekking com motor 1.8

Veículos PCD são mais baratos, pois estão isentos de IPI, ICMS e IPVA. Entre 2011 e 2014, as vendas da categoria correspondiam a 1,6% dos emplacamentos nacionais (54 mil carros por ano). Em 2019, o número já atingiu 13,2% da fatia do mercado (356 mil, anuais). “Pela isenção de imposto, 360 mil brasileiros vão comprar carros PCD”, destaca Habib.

O futuro dos elétricos

No quarto semestre de 2019, carros elétricos correspondem a 10% das vendas na China, 2,5% nos Estados Unidos, 5% em Portugal e 80% na Noruega. No país escandinavo, a isenção de impostos na categoria faz com que um VW Golf 1.4 TSI tenha o mesmo preço de um e-Golf 100% elétrico.

carro elétrico arrow-options
Divulgação

Carros elétricos chegaram para ficar, mas esse mercado ainda caminha devagar no Brasil

Mas mesmo em um mercado emergente e cheio de complexidades como o brasileiro, Habib acredita na queda inexorável dos carros movidos apenas a combustão. E isso causará um novo impacto na indústria como conhecemos.

“O carro elétrico não tem caixa de transmissão, virabrequim, correias, pistão e outras partes móveis. Isso acarreta na profunda disrupção da cadeia automotiva como conhecemos, influenciando nos fornecedores de autopeças, serviços de pós-venda e na distribuição de combustíveis”, diz Habib. “Isso acontecerá em meados de 2040, quando carros elétricos corresponderem a 50% das vendas em todo o mundo”.

LEIA MAIS:  JAC Motors lança nova linha de carros elétricos no Brasil

O executivo também acredita que o preço dos elétricos deverá baixar com o tempo. “Vai demorar, mas um dia os elétricos terão o mesmo preço de carros térmicos, como já acontece nos países nórdicos” destaca Habib. “Muitos países estão comprometidos em eliminar gás carbônico de sua geração de eletricidade. Na Europa, fala-se muito sobre energia eólica e solar. É questão de tempo”.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana