Política Nacional

WhatsApp admite envio ilegal de mensagens em massa nas eleições de 2018

Publicado

source
whatsapp arrow-options
Divulgação

WhatsApp admite o envio ilegal de mensagens durante as eleições.


Pela primeira vez, o WhatsApp admitiu que as eleições presidenciais brasileiras de 2018 tiveram envio maciço ilegal de mensagens através do aplicativo . Os conteúdos foram enviados por empresas que fazem uso de bots , o que é proibido tanto pelo WhatsApp quanto Tribunal Superior Eleitoral ( TSE ). 

Conforme reportagem da Folha de S. Paulo , a empresa admitiu o ocorrido durante uma palestra no Festival Gabo, em Medellín, na Colômbia. No evento, o gerente de políticas públicas e eleições globais do WhatsApp , Ben Supple, afirmou que “na eleição brasileira do ano passado houve a atuação de empresas fornecedoras de envios maciços de mensagens, que violaram nossos termos de uso para atingir um grande número de pessoas”. 

Leia também: TSE arquiva ação de Bolsonaro contra Haddad sobre disparos de mensagens

Apesar de já ter vindo a público anteriormente, a informação de que o WhatsApp foi utilizado para envios de mensagens em massa durante as eleições nunca tinha sido admitida pela empresa. Durante a palestra, Supple afirmou que o mero uso do WhatsApp para campanhas políticas não viola as regras de uso do aplicativo, mas a automatização deste uso, sim. “Todos estão sujeitos aos mesmos critérios, não importa se quem usa é um candidato à Presidência ou um camponês do interior da Índia”, afirma. 

Leia mais:  Instalada subcomissão que investiga favorecimento ilegal a empresa Leros

O impacto que o WhatsApp tem em corridas presidenciais

Além de admitir que a plataforma foi utilizada de forma ilegal durante as eleições presidenciais do ano passado, Supple ainda afirmou que a empresa entende o impacto que esse tipo de ação pode ter em um país como o Brasil. “Sabemos que eleições podem ser vencidas ou perdidas no WhatsApp. Sempre soubemos que a eleição brasileira seria um desafio. Era uma eleição muito polarizada e as condições eram ideais para a disseminação de desinformação”, diz.

Leia também: Campanha de Bolsonaro não enviou mensagens em massa, diz TSE

Para os usuários brasileiros, o executivo disse que dois grandes problemas são o uso do WhatsApp como fonte primária de informação e a participação em  grupos públicos que distribuem conteúdo político . “Vemos esses grupos como tabloides sensacionalistas, onde as pessoas querem espalhar uma mensagem para uma plateia e normalmente divulgam conteúdo mais polêmico e problemático”, afirma Supple. “Nossa visão é: não entre nesses grupos grandes, com gente que você não conhece: saia desses grupos e os denuncie”. 

Leia mais:  Câmara e Senado promovem campanha de prevenção de câncer de mama e colo

Quais medidas o WhatsApp tem tomado para resolver a situação

Além de pedir a ajuda dos usuários para realizarem denúncias, o WhatsApp vem tentando resolver a existência de automação no envio de mensagens na plataforma através de algoritmos . Por mês, a empresa bane cerca de 2 milhões de contas no mundo todo por esse motivo. 

Leia também: WhatsApp bane 2 milhões de contas por mês, mas isso não é o suficiente

Os critérios para banir analisam o comportamento dos usuários do WhatsApp , como tentativas massivas de criar grupos, altos números de mensagens enviadas e a investida em adicionar muitas pessoas em grupos. O algoritmo interpreta ações assim como vindas de robôs, e bane as contas que se comportam desta forma.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
publicidade

Política Nacional

Comissão debate pesquisas e tratamentos para mielomeningocele

Publicado

por

A Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência promove debate nesta quarta-feira (23) sobre a mielomeningocele, em alusão ao Dia Mundial de Conscientização sobre a doença (25 de outubro). O debate atende a proposta da deputada Aline Sleutjes (PSL-PR).

A mielomeningocele, também conhecida como espinha bífida aberta, é uma malformação congênita da coluna vertebral da criança em que as meninges, a medula e as raízes nervosas estão expostas. Mielomeningocele é o tipo mais comum e também a mais grave de espinha bífida.

“Diante da importância que é acolher famílias com crianças que tenham essa malformação e conscientizar a população e o Poder Público, o dia 25 de Outubro foi instituído como Dia Mundial de Conscientização da Mielomeningocele”, afirma a deputada.

Foram convidados:
– o doutor em Ciências e pesquisador de células-tronco, Nelson Foresto Lizier;
– a fisioterapeuta especialista em eletroestimulação, Paula Alessandra Garcia Gripp Parralego; e
– Nadja Kelly Brito Bezerra Cavalcanti, mãe de criança com mielomeningocele.

A reunião será realizada às 15 horas, no plenário 13.

Da Redação – RL

Leia mais:  Senado aprova MP que modifica estrutura da Presidência da República

Fonte: Agência Câmara Notícias
Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Comissão especial sobre portabilidade da conta de luz será instalada nesta semana

Publicado

por

Está marcada para esta quarta-feira (23) a instalação da comissão especial que irá analisar o Projeto de Lei 1917/15, que prevê a portabilidade da conta de luz, a fim de permitir aos consumidores optar entre diferentes fornecedores no mercado de energia elétrica.

A proposta chegou a ser analisada por uma comissão especial no ano passado, mas o relatório não foi votado e ela acabou sendo arquivada ao final da legislatura. O texto foi desarquivado a pedido do deputado Rodrigo de Castro (PSDB-MG), único dos autores que foi reeleito.

Após a instalação, serão escolhidos o presidente e os vice-presidentes da comissão.

A reunião será realizada às 14 horas, no plenário 16.

Da Redação – MB

Fonte: Agência Câmara Notícias
Comentários Facebook
Leia mais:  Senado aprova texto e histórico pode agravar pena por crime ambiental
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana